Comentário: Instruments Livid DS-1

The DS-1 from Livid Instruments will likely appeal to both professional and home studio producers and DJs as a mixing console that has enough pots and buttons to hold its own. G.W. checks it out.  

Instruments Livid , ao longo dos últimos anos, têm-nos agraciado com alguns dispositivos, acessíveis e extremamente jogo de mudança acidentadas que todos viveram até a campanha publicitária, a preços que são mais do que acessível. Durante este tempo, weve começado a ver a pequena empresa de galho em Austin guitarras, sensores de luz, e até botões de arcade. Agora, eles estão entrando nos estúdios quarto com um dispositivo que Pro e aluno tanto vai realmente gosta.

Conheça o DS-1

O DS-1 é a primeira mesa de mistura dedicado que saiu da Livid, até o momento. Como um mixer, há 9 faders dedicados (60 mm). E, antes de zombar, pensando que uma mesa de mistura a preços acessíveis, provavelmente, terá alguns faders "janky" (Nota do editor: pensamos GW significa frouxo ...). Acredite em mim, não há Jank aqui. Os movimentos são deslizes que outros fabricantes de controladores não conseguiram dar-nos no passado. Você não vai encontrar uma pitada de estalo, ou resistência a esses faders. Nem você vai ter que se preocupar muito com o que vai acontecer aos faders durante o transporte para um show

Pic 1

O gabinete do DS-1 é o de alumínio de costume, duro, de plástico que, posso dizer por experiência própria, viaja bem. Então, se você está a dar concertos muito, ou mesmo DJing, você vai desfrutar dos DS-1, não apenas para a facilidade com que ela é a instalação, mas também para a sua durabilidade.

Pic 2

Comecei minha jornada com o DS-1 em Ableton Live. Como a maioria dos dispositivos Livid, a instalação levou um segundo e consistia apenas de ligar o cabo USB e selecionar o script remoto direita. Após a seleção, cores dos botões mudou, dando-me a impressão de vida e usabilidade. Como esperado, os mapeamentos padrão são excelentes, e, ao mesmo tempo dando-lhe muito espaço para preencher as lacunas com botões não atribuídas. Eu realmente gosto de como eles fizeram sessão sinalizando fácil, embora a rede familiar que empurra, e tantos outros controladores que suportam Ableton tem está faltando. Um pequeno grid, logo acima do fader principal lida não apenas botões dedicados para percorrer cenas, bem como controles de transporte. Há até mesmo um botão piscando para Automation Arm!

What About as maçanetas?

Você já sabe o que eu vou dizer, os botões se sentir bem. Como os faders, eles são suaves e sentir sólida. Embora, devo mencionar que os botões do DS-1 não levar um pouco mais de bling que panelas em dispositivos como Código, ou a Alias ​​8, a partir Livid. Com o DS-1, botões são iluminados dentro do gabinete. Isso significa que você pode facilmente ver todos os botões, mesmo no escuro. Embora, se a sua realmente escuro, Id sugerir o uso de um adaptador AC (não incluso), que irá adicionar um pouco de brilho para os LEDs, aumentando o seu brilho e mantendo-o de ser cego no palco.

Pic 3

Além da opção de um adaptador AC, você também vai ficar feliz em saber que você pode usar um pedal de expressão! Este é um bônus adicional, especialmente se você está de engenharia para si mesmo. Basta mapear o pedal para gravar, e pronto! Você não tem sequer a puxar nossas mãos fora a guitarra.

Conclusão

O DS-1 é o controlador que é simples e fácil de configurar, e é compatível, e tem mapas para não apenas DAWs como Ableton e Logic, mas também plataformas DJ, como Traktor, e assim por diante. E, o fato de que ele é tão intuitivo na sua concepção, apesar de serem tão sólido, faz-me colocar um muito alta recomendação sobre este dispositivo. Concedido, eu adoraria ter visto faders motorizados. Mas, o que definitivamente tomar o ponto de preço para cima, a partir do que está atualmente disponível para ambos pro e iniciante. Independentemente disso, Livid tem novamente nos deu um controlador que será sempre visto dentro das lineups de muitos um grande DJ, engenheiro, músico e quarto músico.

Prós:

Contras:

Custo:

Web:

Sound Designer, Musician, Author... G.W. Childs has worn many hats. Beginning in the U.S. Army back in 1991, at the age of 18, G.W. began learning electronics, communications and then ultimately audio and video editing from the Department of Defense. Upon leaving the military G.W. went on to work for many exciting companies like Lu... Read More

Discussion

Want to join the discussion?

Create an account or login to get started!